Ligue-se a nós

NOTÍCIAS

APLB tenta empanar brilho do 7 de Setembro em Eunápolis e ganha “bronca” indignada da vereadora Carmem

Publicado

no

A vereadora de de Eunápolis, cidade do extremo sul bahiano, Carmem Lúcia, usou a tribuna durante a sessão na Câmara Municipal desta terça-feira (06) para mostrar a sua indignação com a APLB Sindicato, que lançou uma convocação aos professores da rede municipal para que não participem do desfile cívico do 07 de Setembro, com o intuito de prejudicar a celebração dos 200 anos de Independência do Brasil.

A representante do legislativo foi veemente ao lembrar que os ideais político-partidários não devem atrapalhar a programação cívica, nemas demontrações de patriotismo da população.

“Eu fiquei sabendo que ontem, durante uma convocação, a presidente da APLB Sindicato quis impedir os professores de participarem de um ato cívico, que é o 7 de Setembro.I Isso não é uma briga partidária, não tem poder aí, é um ato civico, uma celebracão legítima do cidadão brasileiros e ela está tentando impedir que os professores participem”, esclareceu .

Inclusive, diversos vereadores, contrários à posição da APLB/Sindicato, solicitaram aos profissionais da educação, familiares e estudantes que participem do ato cívico, que terá grandiosa programação a partir das 7h desta quarta-feira, na Avenida Porto Seguro, no centro da cidade.

AUDIÊNCIA PÚBLICA

Na oportunidade, Carmem também solicitou ao presidente da Câmara, Jorge Maécio, que convocasse uma audiência pública reunindo representantes da Justiça, Ministério Público, Poder Executivo, APLB/Sindicato, pais e alunos para discutir o fim da greve, que já se aproxima de 140 dias.

“Nós já chegamos a uma situação insustentável, quase quatro meses de greve. Quem está sendo prejudicado são as crianças. Nós, como Poder Legislativo, precisamos nos preocupar, pois estávamos aguardando que os professores voltassem, que a Justiça resolvesse, e que chegasse a um bom senso, mas não chegou. Nós estamos com nossas crianças com três anos de defasagem, dois por conta da pandemia, e um por causa da greve, que eu nunca vi uma durar tanto”, frisou Carmem Lúcia.

Fala Mara/ redacão

Anúncio
Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Nosso WhatsApp

Publicidade

Publicidade