Ligue-se a nós

RADAR BAHIA

OPERAÇÃO PANACEIA: Alvos de operação contra sonegação de impostos são pequenas farmácias

Publicado

no

 

  • Foto: Natália Verena/

Farmácias de pequeno porte são os alvos diretos da Operação Panaceia, deflagrada na manhã desta segunda-feira (21) para apurar a sonegação de R$ 39 milhões em impostos. O Bahia Notícias confirmou que uma dessas empresas é a Plus Pharma, sediada em Salvador.

Os investigadores, no entanto, seguem o indício de que uma grande rede de farmácias de Salvador esteja por trás do esquema.

Ao todo, os agentes cumprem 12 mandados de busca e apreensão na capital e em Feira de Santana. Antes das 7h, computadores e documentos já haviam sido apreendidos na sede de uma empresa de distribuição de medicamentos, no bairro de Pirajá (veja aqui).

Os atos são realizados pela Delegacia de Crimes Econômicos e Contra a Administração Pública (Dececap), através através da Coordenação Especializada de Combate à Corrupção e Lavagem de Dinheiro (Ceccor) da Polícia Civil, do Departamento de Polícia Técnica, da Secretaria da Fazenda, do Ministério Público da Bahia (MP-BA) e da Receita Federal.

Toggle navigation

Pérola do DiaChargesEntrevistasArtigosCurtas do Poder

Pérola do Dia

 

Segunda, 21 de Junho de 2021 – 08:43

Alvos de operação contra sonegação de impostos são pequenas farmácias

por Fernando Duarte / Ailma Teixeira

Foto: Natália Verena/ PC-BA

Farmácias de pequeno porte são os alvos diretos da Operação Panaceia, deflagrada na manhã desta segunda-feira (21) para apurar a sonegação de R$ 39 milhões em impostos. O Bahia Notícias confirmou que uma dessas empresas é a Plus Pharma, sediada em Salvador.

Os investigadores, no entanto, seguem o indício de que uma grande rede de farmácias de Salvador esteja por trás do esquema.

Ao todo, os agentes cumprem 12 mandados de busca e apreensão na capital e em Feira de Santana. Antes das 7h, computadores e documentos já haviam sido apreendidos na sede de uma empresa de distribuição de medicamentos, no bairro de Pirajá (veja aqui).

Os atos são realizados pela Delegacia de Crimes Econômicos e Contra a Administração Pública (Dececap), através através da Coordenação Especializada de Combate à Corrupção e Lavagem de Dinheiro (Ceccor) da Polícia Civil, do Departamento de Polícia Técnica, da Secretaria da Fazenda, do Ministério Público da Bahia (MP-BA) e da Receita Federal.
Além dos mandados, a Justiça determinou ainda o bloqueio dos bens do grupo, para garantir a recuperação dos valores sonegados. Segundo as apurações, os suspeitos criavam empresas em nome de “laranjas” ou “testas-de-ferro” e as utilizavam para a sonegação. Com isso, também foram identificados prejuízos ao Fisco Federal (saiba mais aqui).

Bahia Notícias

Anúncio
Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Nosso WhatsApp

Publicidade

Publicidade